30 abril 2013

O fim do MSN Messenger: uma era
que vai deixar saudade [infográfico]
Um dos maiores serviços de mensagens instantâneas da história disse adeus aos usuários. Confira o que havia de mais marcante nele.

Hoje, dia 30 de abril de 2013, chega ao fim uma das maiores histórias de amor de todos os tempos. MSN Messenger e usuários brasileiros precisam dizer "adeus", pois a Microsoft está encerrando o funcionamento do serviço. Na América do Norte a "morte" já havia ocorrido, mas no Brasil ainda estamos ouvindo os últimos suspiros do MSN Messenger. E certamente ele vai deixar saudades.

Não teremos mais winks ou emoticons animados. A sua tela não vai mais balançar quando algum amigo quiser chamar a sua atenção. "É o fim de uma era", não há como resumir isso tudo de outra forma. No infográfico que preparamos, você vai ver tudo o que já dissemos e muito mais. Temos certeza de que você vai se identificar com muitos dos elementos citados no material.

Ah! E se você ainda quiser conversar com seus amigos do MSN, vai ter que migrar sua conta para o Skype. Não sabe como fazer isso? Então confira o tutorial que o Tecmundo preparou por este link.
Primeira Festa dos Servidores
Públicos Municipais de Raul Soares
Acontece amanhã, 1º de maio, a partir de 17h, na Praça da Cultura, a 1ª Grande Festa dos Servidores Públicos Municipais de Raul Soares.

Essa festa, organização do sindicato da classe (Sinds-Raul), tem o caráter especial de comemoração ao Dia dos Trabalhadores que é celebrado anualmente no dia 1º de Maio em numerosos países do mundo, sendo feriado no Brasil, em Portugal e em outros países.

Na oportunidade terá sorteio de prêmios para os servidores sindicalizados (liquidificadores, sanduicheiras, secadores de cabelo, ferros de passar roupa, entre outros) e, ainda, brinquedos, pula-pula, piscina de bolinhas e feijão-tropeiro, além de sensacional show musical com a dupla Douglas e Cláudio.

1º de Maio - Em 1886 realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago, nos Estados Unidos.

Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas.

Nesse dia teve início uma greve geral nos EUA, seguida de manifestações e protestos, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete agentes.

A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haymarket.
Começa o tradicional Campeonato
de Futebol de Abre Campo 

26 abril 2013

Deputado estadual Cássio
Soares visita Raul Soares
Corte da fita inaugural do Cras feito pelo
 prefeito Célio Nesce e deputado Cássio Soares
O deputado estadual e secretário de estado de desenvolvimento social, Cássio Soares (PSD) esteve, ontem (15abr), em Raul Soares quando foi recebido pelo prefeito Célio Nesce e Maria Valentina Tartaglia, secretária municipal de assistência social, secretários e equipe de trabalho.

O secretário visitou o Centro de Referência de Assistência Social/Cras da Vila Barbosa e a prefeitura local, seguindo posteriormente para o distrito de São Vicente da Estrêla, onde foi recebido com alegria e muita festa pelos moradores locais e visitantes, uma vez que a visita fazia parte da inauguração oficial do Cras daquela localidade.

"O Cras – fortalecendo a união familiar – é uma unidade pública que atua com famílias e indivíduos em seu contexto comunitário, visando à orientação e o fortalecimento do convívio sócio-familiar e é responsável pela oferta dos serviços de proteção social básica."

Na presença de inúmeros moradores, servidores públicos e visitantes, foi inaugurado o Cras de São Vicente da Estrêla pelo prefeito Célio Nesce; Maria Valentina, secretária de assistência social e Cássio Soares, secretário de estado de desenvolvimento social. 

Galeria de Fotos
Raul-Soarense é campeão no Jiu-Jitsu
Raul Soares está sendo bem representada por uma equipe de lutadores de Jiu-Jitsu no cenário estadual , com destaques para os lutadores Daniel e Rafael. Os dois lutadores participaram da 2ª Copa Vale do Aço de Jiu-Jítsu na cidade de Coronel Fabriciano que uma competição promovida pela Federação Mineira da modalidade.

O evento aconteceu no Clube Casa de Campo e contou com a participação de um elevado número de competidores de 16 equipes e que durou 8 horas.
Nossos atletas fizeram bonito na competição, Rafael Augusto Martins faixa amarela perdeu sua luta mas Daniel Gama Lucas faixa roxa venceu em sua categoria e foi Campeão.
Através do professor Gilberto Gomes o Ginásio Poliesportivo de Raul Soares conseguiu o alvará de funcionamento pela Federação Mineira de Jiu-Jítsu e agora está totalmente legalizado para que Daniel e sua equipe possam continuar dando aulas para nossos futuros campeões. Gilberto Gomes na oportunidade está marcando um encontro com o Professor Marco Antonio Cândido, Coordenador de Esportes da cidade para juntos e com total apoio da Prefeitura Municipal realizarem um grande evento de Jiu-Jítsu em Raul Soares.
                                                   
                               
No dia 19 de maio acontece em Belo Horizonte o Torneio "Prata da Casa" de Jiu-Jítsu que vale pela 2ª Etapa do Campeonato Mineiro  a competição é Oficial e serve de suporte para a convocação da Seleção Mineira de 2013,  nossos atletas estarão lá.

Parabéns a todos. É Raul Soares recuperando o tempo perdido nos esportes muito em breve teremos novas e melhores notícias.
(Raul "Efi" Soares)

25 abril 2013

Problemas e soluções foram debatidos
na Conferência da Cidade em Acaiaca
O público participou ativamente dos debates 
Mais 120 pessoas, representando os mais diversos segmentos sociais do município, participaram durante toda a manhã de 19/04, no salão nobre da sede da Prefeitura, da Conferência da Cidade de Acaiaca.  O objetivo foi debater os problemas estruturais da cidade e apontar soluções dentro da realidade socioeconômica da população. Com o tema “Quem muda a cidades somos nós: Reforma Urbana já”, o evento propôs uma profunda reflexão dos moradores a respeito dos grandes desafios locais, buscando sempre a melhor qualidade de vida deles.

Autoridades na abertura da Conferência
Na abertura, o prefeito José Calixto Milagres (Zezinho) apresentou uma ampla exposição dos desafios a serem enfrentados pela atual e futuras administrações do município. Antes de relacionar os problemas e estabelecer metas, o chefe do executivo, cobrou maior participação popular nos debates de temas, que podem representar melhorias para todos. Para Zezinho, o abastecimento de água, esgotamento e tratamento de esgoto, destinação correta de lixo são os maiores desafios a serem superados. “Esses temas são vitais, porém jamais poderemos esquecer da saúde e educação”, observou o prefeito.



Revelando preocupação com as condições do homem do campo, Zezinho disse que apresentará, em breve, um “ousado” plano de sustentação para o setor agropecuário. Lembrando que a água é o principal desafio a ser resolvido, o prefeito disse que muito já foi realizado neste setor, mas muito ainda terá de ser feito para que a população tenha qualidade e quantidade no abastecimento. “Vamos tratar a água, garantindo qualidade e num segundo momento, o serviço será hidrometrado, visando oferecer igualdade no abastecimento para todos os consumidores”, garantiu.  Tânia Maria Duarte (Consórcio Intermunicipal de Saneamento Básico da Zona da Mata) falou da importância da Conferência, observando vários pontos que a administração pública e população precisam atuar para garantir melhor qualidade de vida.

Ainda compuseram a mesa coordenadora dos trabalhos: Mário Roberto Camilo (presidente da Câmara Municipal), Nelson Martins dos Santos (assessor do Dmaes/Ponte Nova), Ana Maria Niquini (secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania), Tatiane de Souza Duarte (secretária de Administração), Márcia Maurício (secretária de Educação). José Moreira (coordenador da Defesa Civil). Vereadores também prestigiaram o evento.  
(Ascom - Prefeitura de Acaiaca – MG / Wesley Moreira)

23 abril 2013

Exposição Agropecuária de
Raul Soares em julho próximo
Aconteceu na noite de ontem (22abr), na prefeitura de Raul Soares, uma reunião para tratar da realização da Expô-Raul 2013, quando estiveram reunidos o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Samaên Felipe; José Maria Peixoto, presidente da Câmara de Vereadores; prefeito Célio Nesce, Laudácio Lasmar, vice-prefeito e assessores.  

Nesse primeiro encontro ficou decidido que a Expô-Raul acontecerá no período de 4 a 7 de julho e que outras reuniões acontecerão ao longo do período para se estabelecer a programação do evento e suas atrações incluindo shows musicais de qualidade, torneio leiteiro, concurso de marcha, barracas e estandes, desfiles, garota Expô-Raul e, logicamente, exposição de animais de pequeno ao grande porte. 

22 abril 2013

Fila, genética pura de
Governador Valadares para o mundo
Ninhada de filhotes é preparada para ganhar o
 mundo; cada um será vendido por cerca de R$ 1.800
GOVERNADOR VALADARES – Governador Valadares é destino obrigatório no chamado “tour do fila brasileiro”. Criadores de vários países vão à cidade, todos os anos, interessados na genética desses cães, considerados de extrema pureza. O município é referência internacional na preservação da raça.

Filhotes são embarcados com frequência pelas companhias aéreas, levando junto ao pedigree o “certificado de valadarense”, condição cada dia mais valorizada e fortalecida, inclusive por meio de pesquisas.

O veterinário Aníbal Felipe Silva, proprietário do Canil Filas de Fazenda, é um dos criadores que investem na raça. Há algumas semanas, estava com 21 animais – 14 deles filhotes de uma mesma ninhada – sendo preparados para “ganhar o mundo." 


Cada filhote foi vendido ao preço médio de R$ 1.800. Não há registro oficial do número de animais que deixam a cidade, mas, segundo o veterinário, doutor em Ciência Animal pela Universidade Federal de Minas Gerais, o que importa é a qualidade..

“Temos muitos proprietários (donos de cão), mas criadores (para fins comerciais e de preservação) são poucos. O alto padrão genético é que faz a diferença”, diz Felipe.

Ele já exportou filhotes para a República Tcheca, Coreia do Sul, Estados Unidos, Peru, Sérvia e Espanha.

“Nossos animais vão muito para o exterior e, por isso, Valadares se tornou conhecida, parada obrigatória no turismo internacional do fila”, diz.

O “tour” é permanente e ganha força durante circuitos nacionais e internacionais que acontecem no país. O fila foi a primeira raça brasileira reconhecida internacionalmente. Por não ceder a ameaças, ser forte, fiel ao dono e ter ojeriza a estranhos, é um dos cães mais procurados para a guarda.
(Hoje em Dia)

19 abril 2013

Cinema de graça em
Raul Soares: Cine Sesi
Neste final de semana, de 19 a 21 de abril, curtas e longas metragens serão exibidos gratuitamente pelo Cine Sesi Cultural em Raul Soares, em projeção em altíssima definição digital.

As exibições acontecem no Parque de Exposições, a partir de 18h30.
Hoje é o Dia do Índio
O Dia do índio, 19 de abril, foi criado pelo presidente Getúlio Vargas através do decreto-lei 5540 de 1943, e relembra o dia, em 1940, no qual várias lideranças indígenas do contingente resolveram participar do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México. Eles haviam boicotado os dias iniciais do evento, temendo que suas reivindicações não fossem ouvidas pelos "homens brancos".

Durante este congresso foi criado o Instituto Indigenista Interamericano, também sediado no México, que tem como função zelar pelos direitos dos indígenas na América. O Brasil não aderiu imediatamente ao instituto, mas após a intervenção do Marechal Rondon apresentou sua adesão e instituiu o Dia do Índio no dia 19 de abril. O dia do Índio tem como função relatar os direitos indígenas e faz com que o povo brasileiro saiba da importância que eles tem na nossa história.
(Wikipédia)
Secretário Cássio Soares
empossa novos membros do CONEDH
O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, deputado Cássio Soares, deu posse, nesta quinta-feira (18), à nova presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (Conedh), Cirlene Ferreira, e ao vice-presidente, Leonardo Curi. A solenidade aconteceu no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, e contou com a presença de representantes da sociedade civil e do poder público mineiro.

Cássio Soares aproveitou a oportunidade para parabenizar o trabalho que os membros do Conselho têm realizado em Minas Gerais e a importância da Casa de Direitos Humanos, inaugurada em fevereiro pelo governo estadual, onde hoje estão instalados todos os conselhos vinculados à Sedese.  “A Casa de Direitos Humanos tem contribuído de maneira funcional para os trabalhos desenvolvidos pelos conselhos. Reafirmo meu compromisso de prestar todo o suporte e apoio para que vocês possam desenvolver suas atividades de maneira eficiente”, destacou. 

Cirlene disse que espera realizar, durante os três anos de mandato, um trabalho em prol do fortalecimento da legislação dos direitos humanos, em especial a população de rua e do combate à homofobia. “Espero dar continuidade a esta base sólida entre os entes públicos e a sociedade civil. A nossa luta está só no começo”, pontuou.

Criado em  1987, o Conedh é formado por representantes do poder público e entidades da sociedade civil. Tem como principal objetivo aplicar, em todos os sentidos, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada e proclamada pela resolução 217, da Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU), em dezembro de 1948, além de promover estudos e ações para educação e promoção em direitos humanos, bem como promover o respeito e a dignidade da pessoa humana.

18 abril 2013

Leilão de bens de traficantes
arrecada R$ 175 mil em Minas Gerais
O Fundo Nacional Antidrogas (Funad) arrecadou R$ 175 mil no leilão de bens apreendidos de traficantes de drogas realizado nesta quarta-feira (17/04) em Belo Horizonte (MG). Foram arrematados 99 lotes de carros, motos, caminhões e sucatas apreendidos no estado de Minas Gerais.

Os recursos arrecadados, conforme determina a legislação, serão destinados a ações de redução da oferta de drogas e de prevenção, tratamento e reinserção de usuários e dependentes.

A receita é dividida: 80% é repassado para o próprio estado aplicar em políticas de enfrentamento ao consumo e ao tráfico de drogas e 20% permanece no Funad para ser destinado a ações de capacitação, orientação e prevenção ao uso de drogas.

Funad – O Fundo Nacional Antidrogas (Funad) é constituído, entre outros, de recursos oriundos da alienação de bens apreendidos de pessoas condenadas por tráfico ou envolvidas em atividades ilícitas de produção ou venda de drogas.

A alienação só é realizada após decisão judicial tomada em caráter definitivo. Os recursos dos leilões são destinados ao desenvolvimento, à implementação e à execução de ações, programas e atividades de repressão, de prevenção, tratamento, recuperação e reinserção social de dependentes de drogas.
(Assessoria de Comunicação / Ministério da Justiça)

17 abril 2013

Assistencialismo é a principal marca da
atuação dos vereadores no interior de Minas
Vereadores batem recordes de mandato graças à política do assistencialismo, como doação de cadeiras de rodas, remédios e transporte de doentes. Trocar de cargo não está nos planos deles

Passar mais de 20 anos na mesma função. Sem cair, nem arriscar escalar posto mais alto. Sempre com respaldo popular e sem qualquer sinal de que pretendem mudar de vida. Parece algo que não exige muito trabalho. Mas é arte para especialistas. Em Minas são muitos, espalhados pelas câmaras municipais. São os vereadores campeões de mandato, com quatro, cinco e até oito eleições para o cargo. De partidos e perfis diferentes, muitos têm em comum a estratégia para a longevidade no Parlamento: o assistencialismo.

Em Barbacena, Região Central, a categoria é representada pelo presidente da câmara, vereador Amarílio Andrade (PSC), de 72 anos, que está no oitavo mandato na Casa. Até a metade dos anos 1990 ele foi da confiança de políticos como os ex-governadores Hélio Garcia, que deixou a vida pública em 1995, e Tancredo Neves, morto em 1985. Em 2001, depois de ser curado de um câncer na garganta, decidiu criar um instituto para atendimento a pacientes com a doença. Fornecia cadeiras de rodas para banho e remédios. Mas precisava também de uma ambulância para transporte dos pacientes para Belo Horizonte. Tentou com o então governador Aécio Neves (PSDB). “Demos a ele a Medalha Sobral Pinto, a principal comenda da cidade, mas a ambulância não veio. Quem resolveu o problema e liberou o veículo foi o secretário de Planejamento, hoje governador, Antonio Augusto Anastasia (PSDB)”. O veículo, segundo Amarílio, rodou mais de 300 mil quilômetros transportando pacientes. “Não peço nada para mim. Peço para os outros”, diz o vereador, eleito este ano, pela 12ª vez, presidente da Câmara Municipal de Barbacena. Antes de virar político, Amarílio era professor da rede pública de ensino.

Com menos mandatos, mas com a mesma vontade de ajudar as pessoas, o vereador de Carandaí Osmar de Souza (PMDB) é campeão de eleições e de solidariedade. Na tarde de quinta-feira, ao ser contatado por telefone pela reportagem, estava em Barbacena, para onde levou três pacientes para realizar mamografia. Com tanta disposição e gasolina, conseguiu cinco mandatos. A intensidade da entrega ao próximo chegou a interromper a trajetória do parlamentar. Em 2006 teve o mandato cassado por, como diz, “umas fichas de dentista”. Na verdade, autorizações entregues a eleitores durante a campanha para tratamento dentário.

Ele cumpriu três anos de inegibilidade e retornou às eleições no ano passado. Por sua força, conseguiu eleger sua ex-mulher na disputa de 2008. Osmar circula por Carandaí em um carro de R$ 57 mil, o mesmo usado para o serviço de transporte que ele realiza. Pela câmara recebe R$ 2,8 mil. Mas por ter se aposentado por invalidez, depois de dois derrames cerebrais, tem renda maior. “No mês que vem vou para os Estados Unidos com a minha filha”, conta.

Mas há quem garanta que o grande número de mandatos no currículo não vem de doações ou transporte de doentes. Nilton Manoel (PSD), vereador em Ipatinga, no Vale do Aço, eleito sete vezes para o cargo, diz que o sucesso nas urnas é pela fiscalização que ele realiza no governo da cidade. “Fiz 12 denúncias contra o último prefeito e já tenho uma em mãos contra a atual administração”, diz o parlamentar. Ex-balconista de farmácia, ele afirma que, apesar de tanta popularidade, não pensa em se candidatar a deputado, por exemplo. “Não tenho dinheiro para isso”, argumenta. A única renda do parlamentar vem do contracheque da câmara, R$ 5,2 mil mensais.

Vereador no quinto mandato em Juiz de Fora, na Zona da Mata, o defensor público Isauro José de Calais Filho (PMN) venceu a primeira eleição em 1996, três anos depois de assumir o comando do Procon na cidade. Hoje, o parlamentar exerce, concomitantemente às funções na câmara, o trabalho de gestor da Defensoria. Uma das tarefas no cargo é direcionar detentos de baixa renda presos em flagrante a advogados de defesa pagos pelo estado. O contato é feito com as famílias dos acusados.

Idealismo
Na avaliação do presidente da Associação Brasileira das Câmaras Municipais (Abracam), Rogério Rodrigues, que já foi vereador por seis mandatos em Coromandel, no Alto Paranaíba, o único motivo de alguém permanecer na política é o idealismo. “Quem fica é porque gosta. Tem vontade de servir à população”, avalia. Para o ex-parlamentar, a acomodação dos ex-colegas nos cargos acontece por não terem um projeto para crescer e por estarem habituados àquele cotidiano. “Às vezes também têm um pequeno negócio, que os prendem à cidade, e acabam conciliam isso com a vereança.

É a relação feita pelo vereador em quinto mandato Antonio Afonso Pereira (PP), de Santana dos Montes, Região Central do estado. Dono de um sítio onde planta verduras e cria gado, o parlamentar, assim como os colegas de Barbacena e Carandaí, mantém uma hot line com os moradores da cidade que precisam de serviços médicos. Em seu fusca 1978 encardido e com pneus carecas, transporta pacientes para tratamento de saúde na cidade e em municípios vizinhos. Chega a ser acordado no meio da madrugada para prestar o serviço. “Estou mais para a câmara”, diz o vereador, sobre a melhor das suas duas fontes de renda. O salário do vereador é de R$ 2,5 mil.

O parlamentar é conhecido como Antonio Gasolina. Antes da abertura de um posto na cidade, era o responsável pela venda do combustível. Por força do destinoe do vaievém no exercício paralelo do mandato, continua honrando o apelido. Agora, porém, como comprador do produto.

Do volante para a Câmara
Eles acabaram se afastando da antiga profissão para dedicarem à atividade política, mas recusam a condição de “políticos profissionais”. O vereador Ildeu Maia (PP), de Montes Claros, Norte de Minas, lembra da sua primeira campanha para a Câmara Municipal, em 1992, quando era motorista de ônibus. Na época exercia também a função de presidente do Conselho Comunitário de Desenvolvimento do distrito Santa Rosa de Lima. Hoje, Ildeu Maia está no seu sexto mandato de vereador na cidade que é o quinto maior colégio eleitoral do estado, com 246,7 mil eleitores.

O vereador conta que quando era motorista de ônibus trabalhava em um sistema de revezamento: em uma semana, transportava trabalhadores de indústrias na cidade. Na semana seguinte, fazia a linha entre Montes Claros e o distrito de Santa Rosa de Lima. Dessa forma, acabou conquistando a simpatia – e depois, votos – dos passageiros. “Antes, eu ajudava outros candidatos. Aí, resolvi me candidatar e deu certo”, afirma Maia, de 52 anos.

No início da vida pública ele ainda tentou conciliar o trabalho de motorista com o de vereador, mas não conseguiu, por causa das reuniões da câmara. Ele salienta que seus finais de semana também são ocupados pela atividade com os eleitores. Ontem, por exemplo, ele iria visitar seis comunidades rurais. Ele nega ser um político profissional e se diz um pequeno produtor. “Profissão diz respeito àquilo em que a gente trabalha a vida toda e a gente só fica na política até o dia que o povo quiser. No meu caso, enquanto o povo me quiser, serei político com muita honra”, justifica.

O representante do PP disse que considera a remuneração de R$ 12 mil mensais recebida na câmara como boa, mas mesmo assim garante que não conseguiu acumular patrimônio. “Se o dinheiro que recebo ficasse só para mim, e eu não ajudasse ninguém, acho até que poderia ter ficado rico. Porém, as despesas são muitas”, comenta. Entre elas, ajuda para festas religiosas das comunidades rurais e para associações comunitárias, remédios e até “dinheiro do gás” pedido por pessoas carentes.

Outro campeão de mandatos é Edmar Pereira de Oliveira (PTC), o Dimazão, de Várzea da Palma, também no Norte. Ele está no sétimo mandato consecutivo de vereador. Há quatro anos ele montou uma revenda de carros usados e disse que procura conciliar o auxílio à comunidade com o comércio. “O trabalho de vereador não tem hora para começar ou terminar. Precisamos estar sempre à disposição do povo. Resolvo muitas coisas pelo telefone celular”, explica o vereador de 51 anos.

Dimazão sustenta que nunca conseguiu juntar patrimônio com o salário de vereador, atualmente de R$ 6 mil. “Salário de vereador parece que é amaldiçoado. A gente não consegue comprar nada com ele”, reclama. “Tenho outra atividade e não vivo de salário de vereador”, acrescenta. Ele disse que praticamente toda a remuneração que recebe da câmara é gasta com o pagamento das despesas do exercício do mandato e com o atendimento de pedidos de eleitores.
(Estado de Minas)

16 abril 2013

São Gonçalo do Rio Abaixo e Raul Soares
ganham projeções do Cine Sesi Cultural
Neste final de semana, de 19 a 21 de abril, curtas e longas metragens serão exibidos gratuitamente pelo Cine Sesi Cultural nas cidades de São Gonçalo do Rio Abaixo e Raul Soares. As projeções em altíssima definição digital acontecerão simultaneamente nos dois municípios

O projeto Cine Sesi Cultural completa 10 anos com o mesmo compromisso do início: levar a sétima arte para cidades do interior do país desprovidas de salas de cinema. Realizado pelo SESI e idealizado pela diretora de criação da Aliança Comunicação e Cultural, Lina Rosa Vieira, o Cine Sesi Cultural tem conseguido estimular a atividade cinematográfica no interior do Brasil. É tanto que diversas cidades por onde passou tiveram suas salas de cinema reabertas, como Pirapora (MG), Salgueiro (PE), Triunfo (PE), entre outras. Neste final de semana, de 19 a 21 de abril, os municípios mineiros de São Gonçalo do Rio Abaixo e Raul Soares serão contemplados com sessões gratuitas de cinema, iniciando sempre às 18h30. Em São Gonçalo, as exibições acontecem na Praça Central e em Raul Soares, no Parque de Exposições.

Na programação, serão exibidos três curtas nacionais e três longas-metragens, sendo dois brasileiros e uma produção internacional cuja cópia foi cedida especialmente para o projeto pela Disney (Enrolados). Entre 2002, quando foi criado, até hoje, o Cine Sesi já passou por 603 cidades do interior – algumas dessas cidades mais de uma vez - de 11 estados do país, atingindo mais de quatro milhões de pessoas. Só no estado de Minas Gerais, nas edições passadas, foram mais de 70 municípios contemplados, reunindo um público de mais de 350 mil pessoas.

Os filmes são exibidos ao ar livre em área cedida ao Sesi, em acordo com a prefeitura local. Como cinema combina com pipoca, serão distribuídos sacos de pipoca para o público. “Ao proporcionar a experiência cinematográfica dentro da comunidade, o Cine Sesi comprova que há espaço para a inserção de equipamentos que tornem as exibições periódicas. O projeto tem como intenção ainda proporcionar ao interior do País, que tanto inspira as produções de cinema nacional, a possibilidade de se enxergar na grande tela, num belo espelho de culturas, cenários, histórias e personagens semelhantes ao povo do lugar; abrir a possibilidade para uma viagem inusitada diante de outras experiências e lugares”, reflete Lina Rosa.

Em cada um dos três dias de exibição serão apresentados um curta e um longa-metragem para a população presente.  Na sexta-feira, o público confere o curta Tyger (SP) e o longa Eu e meu guarda-chuva (SP); no sábado, o curta O céu no andar de baixo (MG) e o longa O Palhaço (SP); e no domingo, o curta de animação Vida Maria (CE) e o longa Enrolados (EUA).

QUALIDADE TÉCNICA - Os filmes são apresentados altíssima definição digital. O som possui três vias de dois mil watts e projetor Hi-Light Xenon de dois mil watts, além de cinemascope, o que permite boa visualização e audição a uma distância de até 25 metros. Tudo isso garante o elevado padrão de qualidade técnica e de conteúdo das projeções.

CRITÉRIOS DA CURADORIA - A escolha dos longas é pautada pelas seguintes exigências: filmes com bom padrão de qualidade técnica e de conteúdo, tendo a sexta-feira como espaço para a comédia, o sábado voltado para a reflexão e o domingo para o encontro da família; além de filmes que ainda não foram exibidos em canais de TV abertos; filmes que fazem parte da produção de cinema nacional prioritariamente ou que valorizem profissionais brasileiros e  filmes que caibam na indicação de todas as idades (levando em consideração o fato de as exibições serem ao ar livre).

SERVIÇO
Cine Sesi Cultural
Raul Soares
Onde: Parque de Exposições
Horário: 18h30
Entrada franca
São Gonçalo do Rio Abaixo
Onde: Praça Central
Horário: 18h30
Entrada franca
Mais informações: www.cinesesi.com.br

PROGRAMAÇÃO

SEXTA-feira (a partir das 18h30) – Curta da Oficina de Animação do Cine Sesi. Curta-metragem Tyger (SP). Longa-metragem Eu e meu guarda-chuva (SP).

SÁBADO (a partir das 18h30) –Curta-metragem O céu no andar de baixo (MG). Longa-metragem O Palhaço (SP).

DOMINGO (a partir das 18h30) – Curta da Oficina de Animação do Cine Sesi. Curta-metragem de animação Vida Maria (CE). Longa-metragem Enrolados.

SINOPSES

CURTAS

Vida Maria
Maria José, uma menina de 5 anos de idade, é levada a largar os estudos para trabalhar. Enquanto trabalha, ela cresce, casa, tem filhos, envelhece.

Gênero: Animação
Diretor: Márcio Ramos
Ano: 2006
Duração: 9 min
Cor: Colorido

O Céu no andar de baixo
Desde os 12 anos de idade, Francisco faz fotografias de céu. Um dia, algo diferente aparece em uma de suas fotografias mudando sua rotina.

Gênero: Animação
Diretores: Leonardo Cata Preta.
Ano: 2010
Duração: 15 min
Cor: Colorido

Tyger
Um enorme tigre aparece misteriosamente numa grande cidade. Ele vai revelar a realidade escondida numa noite que poderia ter sido como qualquer outra. 

FICHA TÉCNICA
Gênero: Animação
Duração: 5’
Classificação: Livre

LONGAS

O Palhaço
Benjamim (Selton Mello) trabalha no Circo Esperança junto com seu pai Valdemar (Paulo José). Juntos, eles formam a dupla de palhaços Pangaré & Puro Sangue e fazem a alegria da plateia. Mas a vida anda sem graça para Benjamin, que passa por uma crise existencial e assim, volta e meia, pensa em abandonar Lola (Giselle Mota), a mulher que cospe fogo, os irmãos Lorotta (Álamo Facó e Hossen Minussi), Dona Zaira (Teuda Bara) e o resto dos amigos da trupe. Seu pai e amigos lamentam o que está acontecendo com o companheiro, mas entendem que ele precisa encontrar seu caminho, a sua identidade. Quando chega a hora da partida, a tristeza visita os amigos da diversão e de concreto mesmo, só a certeza de que o mundo dá voltas, redondo com o picadeiro.
Diretor: Selton Mello
Elenco: Selton Mello, Paulo José, Giselle Indrid, Larissa Manoela, Teuda Bara, Erom Cordeiro, Cadu Fávero, Maíra Chasseraux, Thogun, Hossen Minussi, Alamo Facó, Tony Tonelada, Bruna Chiaradia, Renato Macedo
Roteiro: Selton Mello, Marcelo Vindicatto
Duração: 90 min.
Ano: 2011
Gênero: Comédia
Cor: Colorido
Classificação: 10 anos

Eu e Meu Guarda-Chuva
Na última noite de férias, três amigos - Eugênio, sempre unido ao guarda-chuva herdado do avô, Frida e Cebola - embarcam em uma aventura mágica ao visitar sua nova escola. Um barão, que deveria permanecer em um antigo quadro na parede, ganha vida e comprova sua fama de “terror dos alunos”. Salas e corredores viram o palco de uma fuga repleta de ação que leva a viagens a lugares desconhecidos e ao encontro com personagens inusitados e divertidos.

Gênero: Aventura e Fantasia
Diretor: Toni Vanzolini
Ano: 2010
Duração: 85 min
Cor: Colorido

Enrolados
Uma história muito divertida e que nunca fora contada corretamente. Quando Flynn Rider, o bandido mais procurado e encantador do reino, então ele se esconde em uma misteriosa torre, e acaba sendo feito refém por Rapunzel, uma bela e esperta adolescente com 21 metros de cabelo e acabam se tornando uma bela dupla, A dupla improvável parte em uma fuga repleta de ação e muita diversão ao lado de um cavalo policial, um camaleão super protetor e um bando de criminosos beberrões. O filme Enrolados vai contar uma história de aventura cheia de romance, humor e muito cabelo.
Ano de Lançamento: 2010
Diretor: Nathan Greno | Byron Howard
Roteiro: Dan Fogelman (escritor) | Jacob Grimm (conto)
Categoria: Animação | Comédia | Família | Musical
Origem: EUA
Duração: 100 minutos
(Comunicação nacional Cine Sesi)
Governo prevê salário mínimo
de R$ 719 no próximo ano
O salário mínimo deverá passar para R$ 719,48 no próximo ano. O valor consta no Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2014, enviado hoje  pelo Executivo ao Congresso Nacional. Pela proposta, o mínimo terá reajuste de 6,12% no ano que vem.
O projeto também prevê crescimento de 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 e inflação oficial também de 4,5% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Apesar da perspectiva de que o Banco Central volte a reajustar os juros básicos da economia na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o documento indica manutenção da taxa Selic em 7,25% ao ano pelos próximos três anos, até o fim de 2016.
(Agência Brasil)

15 abril 2013

Informativo da Polícia Militar
Armas de fogo são apreendidas pela
Polícia Militar de Bom Jesus do Galho

A Polícia Militar recebeu denúncia anônima dando conta de que no Córrego dos Matias, zona rural de Bom Jesus do Galho, havia um homem chamado Levindo Cândido do Nascimento, 75 anos de idade, e esse estava praticando comércio de arma de fogo e ainda realizava pequenos reparos nos objetos. 

Uma equipe comandada pelo 2º Ten Flávio Batista compareceu no local e constatou a veracidade da denúncia. Durante os trabalhos, foram apreendidas seis armas de fogo, munições, material para recarga de cartuchos e apetrechos para reparos e fabrico de arma de fogo; uma pessoa conseguiu evadir e Levindo acabou sendo preso e conduzido para a Delegacia em Caratinga juntamente com as armas apreendidas.

O oficial que comandou a operação ressalta a importância da participação da comunidade, o que tem ajudado sobremaneira no combate a criminalidade, dizendo que as pessoas podem continuar passando denúncias através do 190 e do telefone móvel da radiopatrulha da cidade de Bom Jesus do Galho (33.8843-7677).
Vacinação contra a gripe tem
início na segunda-feira, dia 15
Meta do Ministério da Saúde é vacinar 32 milhões de pessoas, o equivalente a 80% do público-alvo. Mulheres em puerpério (no período de até 45 dias após o parto) e doentes crônicos fazem parte do público-alvo

Começa nesta segunda-feira, dia 15, em todo o Brasil a campanha nacional de vacinação contra a gripe. Neste ano, o período de vacinação ocorre entre 15 a 26 de abril. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 32 milhões de pessoas, o equivalente a 80% do grupo prioritário: idosos com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a dois anos, indígenas, gestantes, pessoas privadas de liberdade e profissionais de saúde. Também receberão a vacina mulheres no período de até 45 dias após o parto (em puerpério) e os doentes crônicos, que terão o acesso ampliado a todos os postos de saúde e não apenas aos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIEs).

Na campanha do ano passado, 26 milhões de pessoas foram vacinadas, o que representa 86,3% da população-alvo. O índice superou a meta de 80% prevista. Na etapa atual, o público-alvo representa aproximadamente 39,2 milhões de pessoas. “A novidade da campanha é que, este ano, fazem parte do público prioritário mulheres no período de até 45 dias após o parto e os doentes crônicos. A vacinação é segura e feita com o objetivo de diminuir o risco de ter doença grave e evitar o óbito. Ao mesmo tempo, as pessoas que apresentarem os sintomas da gripe devem procurar o posto de saúde porque tem tratamento”, alerta o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

SEGURANÇA - O objetivo da vacinação é contribuir para a redução das complicações, internações e óbitos provocados por infecções da gripe. Para tanto, serão distribuídas cerca de 43 milhões de doses da vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). “A vacina da influenza tem a imunidade curta, de nove a doze meses. Depois de vacinadas, as pessoas estarão protegidas a partir de 15 dias. Quem foi vacinado no ano passado, precisa tomar a dose novamente”, orienta o ministro da Saúde. Feita com o vírus inativado, a vacina é segura e a única contra indicação é para as pessoas que têm alergia severa a ovo.

A ação do Ministério da Saúde irá contar com 65 mil postos de vacinação e envolvimento de 240 mil pessoas, com a utilização de 27 mil veículos, entre terrestres, marítimos e fluviais, e conta com a parceria das três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS) - Ministério da Saúde e secretarias estaduais e municipais de saúde. Para apoiar as ações de mobilização da população e de preparação das equipes de saúde da família, o Ministério da Saúde está enviando aos estados e municípios R$ 24,7 milhões, recursos que serão repassados do Fundo Nacional de Saúde aos fundos estaduais e municipais.

A vacinação é feita com objetivo de diminuir o risco de ter a doença grave. As pessoas que apresentarem os sintomas da gripe devem procurar o posto de saúde, pois há tratamento. As ações do Ministério da Saúde, em parceria com estados e municípios, visam tanto a prevenção quanto o tratamento e o diagnóstico precoce. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.
(Agência Saúde)

12 abril 2013

Secretaria de Fazenda alerta os
contribuintes inadimplentes do IPVA 2013
O contribuinte que não efetuou o pagamento do IPVA 2013 nos prazos estabelecidos está sujeito à multa e juros calculados sobre o valor total do imposto ou das parcelas, conforme o caso. A multa de mora poderá chegar a 20% e a partir do mês subsequente ao do vencimento haverá a incidência dos juros de acordo com a taxa Selic. Além disto, não terá o veículo licenciado devido às pendências, ficando irregular perante as normas de trânsito.

Esgotadas as ações de cobrança, o contribuinte fica sujeito à “Notificação de Lançamento”, que eleva a multa de 20% para 50% do valor do tributo devido. Poderá ainda ter a notificação inscrita em Dívida Ativa e no CADIN/MG - Cadastro Informativo de Inadimplência em relação à Administração Pública do Estado de Minas Gerais, caso não efetue o pagamento. A emissão destas notificações se inicia em Abril/13, conforme programação.

Aos proprietários de veículos automotores que se encontram em situação irregular, lembramos que enquanto não notificados, poderão recolher o tributo espontaneamente nas agências bancárias autorizadas, portanto, é importante esta antecipação evitando majoração de valores.


11 abril 2013

Cássio Soares entrega veículos
e computadores a municípios
Cidade de Raul Soares se fez presente

O Secretário de Estado de Desenvolvimento Social, deputado estadual Cássio Soares, juntamente com o governador Antonio Anastasia, realizou ontem a cerimônia de entrega de veículos e equipamentos para Conselhos Tutelares, Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e diretorias regionais da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). A cerimônia de entrega aconteceu nesta quarta-feira, 10 de abril, na Praça Cívica da Cidade Administrativa, em Belo Horizonte.

Municípios mineiros de diversas regiões do Estado receberam 66 veículos e 109 computadores destinados a reforçar a estrutura de órgãos ligados à área social no Estado. Cerca de R$ 1,7 milhão foram investidos pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) para a compra dos equipamentos, visando a modernização dos conselhos tutelares, Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e diretorias regionais.

Dos 66 veículos, 21 serão destinados a conselhos tutelares, 25 para Cras e 10 para diretorias regionais. No evento, estavam presentes representantes das prefeituras dos municípios que foram os responsáveis por receber os automóveis e computadores.
O prefeito de Raul Soares, Célio Nesce, participou da cerimônia e, através do secretário Cássio Soares, recebeu do governo de Minas um veículo para atendimento ao Cras.

Para Cássio Soares, essa ação da Sedese visa a promoção do desenvolvimento social nos municípios mineiros. “Esse momento é simbólico, porém de bastante envergadura e representatividade para que o desenvolvimento social de Minas Gerais possa acontecer de maneira eficiente e efetiva”, afirmou Cássio Soares em seu pronunciamento.

O secretário ainda ressaltou o empenho do governo do Estado, junto a Sedese na ampliação do Piso Mineiro de Assistência Social no Estado. “Quero destacar o governo do Estado de Minas Gerais, por implantar de forma pioneira o piso estadual de assistência social, que neste ano de 2013 vamos contemplar os 853 municípios mineiros”, completa.

De acordo com Antonio Anastasia, é fundamental ter permanentemente ação do Governo mais alicerçada em parcerias e alianças solidarias, primeiramente em nível federal e depois municipal. “Cassio Soares tem realizado um belíssimo trabalho e hoje está fazendo essa entrega dos veículos e equipamentos, que é resultado do seu esforço, juntamente com a sua equipe”, afirma.







Dengue sob controle
em Bom Jesus do Galho
Graças às diversas ações intensivas do Poder Público Municipal e da Funasa – Fundação Nacional de Saúde, a cidade de Bom Jesus do Galho conseguiu praticamente erradicar o mosquito Aedes AegyptI, causador/transmissor da dengue e da febre amarela urbana. 
Foram 25 dias de ações conjuntas com a população bonjesuense. Nesse período foram efetuadas seis (06) aplicações duplas de inseticida (Malathion com óleo de soja), atendendo 100% das moradias, praças, lotes vagos, além de prédios comerciais e logradouros públicos da cidade.

Segundo José Soares, supervisor local da Funasa, a parceria Prefeitura x Funasa foi decisiva para sucesso dos trabalhos. “A dengue atingiu aproximadamente quinhentas pessoas na sede do município. Para o combate direto ao mosquito contamos com a presença de um Carro Fumacê e de uma “máquina de fumacê de costa” utilizada por um servidor da secretaria de obras da Prefeitura para locais de difícil acesso. Vários agentes de saúde da Prefeitura realizaram treinamentos e cursos de capacitação em Caratinga, contribuindo direta e decisivamente no combate ao mosquito; A população também abraçou a causa evitando uma epidemia”, relatou.

Ele ainda lembrou que todos são afetados se alguém deixar de fazer a sua parte. “Solicitamos a compreensão de toda a população, principalmente depois das chuvas na cidade. Os quintais, caixas-d’água, calhas, vasos, pneus devem ser mantidos limpos. Córregos e rios da mesma forma. O lixo deve ser ensacado para coleta diária. Essas ações evitam a proliferação de doenças, como a dengue, por exemplo. Todo e qualquer lugar que acumule água parada pode virar um foco de larvas do mosquito. Prevenir é sempre melhor do que curar”, alertou Soares.



Assembleia de Minas
Gerais cresce em 2015
Com a decisão do TSE de aumentar a bancada mineira na Câmara de 53 para 55 deputados federais, serão acrescentadas duas cadeiras no Parlamento estadual. STF poderá rever mudança

Os 19,5 milhões de mineiros podem passar a ser representados na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) por 79 deputados estaduais a partir de 2015. Isso se permanecer a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de anteontem, que aumentará a bancada federal do estado de 53 para 55 cadeiras. Pelos cálculos determinados pela Constituição Federal, duas cadeiras também seriam criadas na ALMG, que por enquanto prefere não se posicionar sobre o assunto. Seria a primeira mudança em 26 anos.

O posicionamento promete gerar uma guerra dos estados que perdem vagas na Câmara e deve parar no Supremo Tribunal Federal (STF), para uma decisão final. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou ontem não descartar recorrer ao Judiciário para impedir a mudança. Se a decisão for mantida, a ampliação na ALMG é automática e já haverá mais duas vagas em cada Casa para a disputa de deputado federal e estadual no ano que vem.

Em Minas Gerais, cada um dos dois deputados estaduais a mais custaria R$ 110.965,35 por mês. A soma equivale ao subsídio de R$ 22.292,35, a verba indenizatória de R$ 20 mil e a cota de R$ 68.673, disponível para contratação de seis a 23 funcionários para o gabinete. Anualmente, os cofres públicos estaduais gastariam R$ 2.365.099,1 para manter os dois parlamentares adicionais. Em Brasília, a verba para pagar os deputados federais continuaria a mesma, já que a Câmara dos Deputados não pode alterar o número total de 513 cadeiras.

O TSE deliberou pela nova composição do Legislativo federal e dos estaduais ao deferir um pedido da Assembleia Legislativa do Amazonas, que solicitou o novo cálculo de deputados por estado com base no Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010. A relatora, ministra Nancy Andrighi, apresentou a proposta de redistribuição dos cargos com base na contagem populacional e votou favoravelmente à assembleia amazonense, sendo seguida por quatro ministros. Um dos que votou a favor, Dias Toffoli, argumentou que, por ser uma questão administrativa, a decisão pode ser apreciada diante de outras premissas pelo STF. Os ministros Marco Aurélio Mello e Cármen Lúcia foram contra.

A assembleia mineira conta com 77 deputados estaduais desde 1987, um ano antes da promulgação da Constituição Federal. Até aquele ano, as mudanças não eram tão raras, Desde a primeira legislatura, em 1947 até 1986, a Casa variou a composição, chegando a ter um mínimo de 59 parlamentares (de 1971 a 1975) e um máximo de 82 cadeiras, em duas legislaturas que duraram de 1963 a 1971.

A Constituição Federal determina que o número de deputados federais é estabelecido por lei complementar proporcionalmente à população dos estados, não podendo ser menor do que oito ou maior de 70. Já nas assembleias, o cálculo é feito com base na representação dos estados na Câmara, sendo o triplo até atingido o número de 36 e depois são somados quantos deputados federais a partir de 12.

REUNIÃO 

A decisão do TSE surpreendeu o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que considerou a alteração preocupante. Ele participou de café da manhã com a presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia; o ministro do STF, Dias Toffoli; e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). As bancadas dos oito estados prejudicados pela decisão do TSE (Pernambuco, Paraíba, Piauí, Alagoas, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul) se preparam para contra-atacar. Até o início da semana que vem, uma enxurrada de recursos deve chegar ao STF.

Duas estratégias estão em discussão entre os parlamentares. A primeira é tentar reverter a decisão com base nos dois votos contrários de ministros do TSE que avaliaram não ser atribuição do Judiciário decidir sobre o assunto. Outra saída avaliada pelos deputados é tentar adiar a validade da medida para as eleições de 2018, com o argumento de que, a essa altura, os partidos já estariam se preparando e definindo as estratégias para o próximo pleito. “Desde 1998 não são feitas atualizações. Resolvem fazer isso agora, às vésperas de uma eleição. O problema é que os partidos se programam durante quatro anos para as eleições seguintes”, argumenta o líder do PT no Senado, Wellington Dias (PI).

O encarregado de analisar o melhor instrumento para as bancadas interpelarem o Judiciário é o senador Ciro Nogueira (PP-PI), parlamentar de um dos estados que mais perdem com a mudança — o Piauí teria o número de deputados reduzido de 10 para oito. Líder do PSB na Câmara, o deputado Beto Albuquerque (RS) diz que a legenda deve entrar individualmente com uma ação no STF questionando a constitucionalidade da medida. (Colaboraram Juliana Braga e Karla Correia)
(Estaminas)

09 abril 2013

Asfaltamento de Raul Soares a Caputira
O Departamento de Estradas e Rodagem do Estado de Minas Gerais-DER/MG está viabilizando a construção da rodovia Raul Soares a Caputira através do Edital nº 052/13 – Aviso de Licitação – datado de 14/03/2013, onde consta o valor global de R$ 5.979.285,42 e prazo de execução da obra em 720 dias.

O trecho de Raul Soares a Caputira, 36 quilômetros, está sendo licitado ao valor de R$ 2.002.564.72.

O diretor geral do der/MG torna público que fará realizar, através da Comissão Permanente de Licitação, às nove horas e trinta minutos (9h30) do dia 28 de maio de 2013, em seu edifício-sede, à Av. dos Andradas, 1.120, sala 1003, nesta Capital, CONCORRÊNCIA para contratação de empresa de engenharia consultiva para a Elaboração de Projeto de Engenharia Rodoviária para Melhoramentos e Pavimentação dos trechos a seguir identificados:

Rodovia
Trecho
MG-326
Ponte Nova - Barra Longa
Municipal
Raul Soares - Caputira
Municipal
Caparaó - Entr. p/Espera Feliz (São José da Pedra Menina)
Municipal
Mutum - Penha Capim - Entr. BR 474

Conforme edital disponível naquele endereço. Maiores informações poderão ser obtidas pelo telefone 31.3235-1272 ou pelo site www.der.mg.gov.br 
(Fonte: DER/MG)
Músico da primeira geração do Clube
da Esquina prepara livro de memórias
Primogênito dos Borges relembra momentos da carreira e faz planos de lançar

Marilton Borges em frente ao Edifício Levy, no
 Centro de Belo Horizonte, um dos endereços
 que fazem parte da história da música mineira
Foi na altura do quarto andar do Edifício Levy, na Avenida Amazonas, 718, que Marilton Borges ouviu a voz e o violão que o marcariam para sempre. Faltava energia no Centro de Belo Horizonte e, como tinha de sair de casa, o filho mais velho de dona Maricota e seu Salomão Borges resolveu descer os 17 lances de escada do prédio a pé. “Quando ouvi aquele troço maravilhoso, quis saber de onde vinha”, recorda o tecladista e compositor, que acabou se deparando com o então recém-chegado Milton Nascimento, contador e datilógrafo, que vinha de Três Pontas, no Sul de Minas, trabalhar em escritório de uma empresa na capital.

Perto de completar 70 anos, em 31 de maio, Marilton recorda desta e de outras histórias que acabariam contribuindo para o surgimento do movimento musical mais importante do estado. Afinal, foi ele que apresentou os irmãos Márcio e Lô Borges, além de amigos como Beto Guedes, a Bituca, como se tornou conhecido o cantor, tido como o 12º filho dos Borges. Comemorando o retorno à noite da cidade, depois de sete anos de dedicação ao bar batizado com o próprio nome, não por acaso, em Santa Tereza, o berço do movimento, Marilton anuncia que vai reunir em livro as memórias daquela época.

“O telefone tocava lá em casa à procura da gente e a mamãe dizia que estávamos no Clube da Esquina”, recorda referindo-se ao cruzamento das ruas Paraisópolis e Divinópolis, no Bairro Santa Tereza, onde a família morava. “E a gente lá, tocando violão e vagabundando”, diverte-se. No livro que pretende publicar, ele está escrevendo mais a própria história do que a do Clube. “Lógico que a história do Clube da Esquina vai entrar”, ressalta, lembrando que o livro do irmão Márcio (Os sonhos não envelhecem – Histórias do Clube da Esquina) tem muito mais de Bituca do que do movimento em si.

Assumidamente crítico em relação aos fatos e à história em si, Marilton garante que hoje se sente absolutamente integrado ao movimento, embora tenha preguiça do que classifica de "flora e fauna” que o cerca. “O Clube da Esquina está cheio de papagaio de pirata”, protesta o músico, admitindo que em determinado período todos queriam e admitiam pertencer ao movimento. “Na verdade não é bem assim. Muita gente que apresentei a eles, no início, hoje é mais Clube da Esquina do que eu.”

Parcerias
Depois do show comemorativo dos 40 anos do movimento, em que se apresentou ao lado de Wagner Tiso, que foi seu colega de escola, Marilton Borges confessa que está começando a assumir a própria música. A ponto de agilizar a criação de um projeto, já aprovado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura, para gravar um disco com orquestra.

Autor de cerca de 50 temas, ele já convidou o irmão Márcio Borges para escrever as letras das canções, que pretende registrar ao lado de Márcio, Wagner Tiso e Milton Nascimento. Carona e Outro cais, gravados no disco Os Borges, de 1980, têm presença garantida no repertório. Assim como Ponta-cabeça, da parceria com Murilo Antunes, que Valéria Val gravou mais recentemente.

Pai de Rodrigo, de 37 anos, e de Bruno Borges, de 35, ambos músicos, e avô de João Pedro, de 5, Marilton é puro afeto quando fala da família. O neto, diz, “é a alegria de minha vida”. “Já tem violãozinho, teclado. A música está no sangue”, orgulha-se, recorrendo à origem familiar para justificar a herança. “Minha avó contava que o pai dela, meu bisavô Olegário Soares, era o primeiro músico de categoria especial da Polícia Militar de Minas Gerais. Ele tocava todos os instrumentos na banda da PM. Isto foi bater nos bisnetos”, acrescenta, empolgado, Marilton.

Nos bailes da vida
A desistência de seguir à frente do bar em Santa Tereza se deve ao cansaço. “Aos 70 anos a gente começa a ficar cansado e estava sobrecarregando o meu sócio, Bruno”, justifica a decisão, lembrando que a família, de certa forma, vai continuar no negócio, com a indicação do filho Rodrigo para a direção musical da casa. Como reconhece, o bar não deu certo porque ele não “jogava duro”.

Os novos proprietários estariam decididos a transformar o Marilton’s em um bar temático, dedicado ao Clube da Esquina. Paralelamente, o próprio Marilton está na agenda do bar, com shows de quarta a sábado, acompanhado de Beto Lopes (quarta-feira), do filho Rodrigo Borges (quinta e sábado) e de Carla Vilar (sexta-feira), à base de piano-bar. O domingo à tarde foi reservado por Marilton para tocar na Status, da Savassi, com o chamado Trio Arame Farpado, que ele integra com Marcelo Drumond (teclado) e Scarpelli (acordeom).

“Embora tenha fama de trabalhador, sou um preguiçoso”, afirma Marilton, que começou a carreira em Belo Horizonte, como crooner do Gemini VII, ao lado de músicos como Helvius Vilela, Eduardo Prates e Jamil Joanes, que também passaram por uma das formações do grupo. Muito antes de Travessia , de Milton e Fernando Brant, ficar em segundo lugar no Festival Internacional da Canção (FIC), de 1967, além de dar o título de melhor intérprete a Bituca, Marilton lembra que foi a São Paulo comprar um órgão e se deparou com o então amigo, que conheceu no Edifício Levy, muito mal.

“Ele estava magro, abatido e triste, tocando na noite. Então, falei para ele: ‘Vamos voltar para BH, você faz um regime de engorda com dona Maricota’”, recorda, comemorando o fato de ter convencido o amigo a voltar. “Temos uma intimidade que poucos têm”, confessa, revelando detalhes tais como o verdadeiro “pavor de baile” que Milton Nascimento tinha. “Ele bebia, ia para o palco cantar duas, três músicas e voltava para beber outras. No final, rachávamos o cachê”, acrescenta Marilton, que fez muitos bailes. Depois do Gemini VII, ele fez parte do grupo vocal Evolussamba, ao qual Wagner Tiso também se integrou.

Enquanto isso, já entrosado com Márcio Borges e Fernando Brant, Bituca, segundo lembra, “danou a compor”. “Eu até gostava de compor, mas diante deles não tinha coragem. Minhas canções eram muito inferiores às deles, embora hoje os senhores do Levy todos cantem as minhas músicas”, confessa Marilton. Ao lado do amigo e dos irmãos ele viu nascer clássicos como o que acabou batizando o movimento. “Lô chegou, pediram a ele para tocar o violão e o Bituca arregalou os olhos. Lô então mostrou uma música que havia composto apenas até a primeira parte. Bituca fez a segunda imediatamente. Chega Márcio e a luz acaba em Santa Tereza. No escuro, enquanto mamãe pegava uma vela, ele escreve a letra de Clube da Esquina”, relata, emocionado com o momento histórico.

A passagem pelo Rio, quando integrou a banda de Osmar Milito, tocando violão, faz Marilton lembrar  a época em que tocava na célebre Boate Number One, além de integrar o coro da Som Livre, quando chegou a gravar várias canções de trilhas de novelas da TV Globo e fazer backing vocals em discos de Jorge Ben Jor (então Ben) e de outros artistas. Hoje, preparando a publicação do livro de memórias, ele se diz muito mais um pesquisador do que compositor.

Clube de Marilton
Compositor - "Bituca. A originalidade dele na composição é impressionante. Hoje, acho que ele nem consegue mais compor como fazia nos anos 1970-80. Na mesma linha tem também o Toninho Horta. A originalidade dele também é grande. A ponto de ser reconhecido lá fora. Se juntarmos Bituca, Toninho Horta e Lô Borges, já viu... Eles têm o macete, o negócio da corda solta meio presa. Trata-se de sonoridade impossível de reproduzir, absolutamente original."

Disco - "O primeiro do Lô: Lô Borges, conhecido como o ‘disco do tênis’. É impressionante como ele fez um trabalho de fôlego com tão pouca idade. Foi algo notável que só fui entender depois de velho."

Canção - "Qualquer caminho, de Márcio Borges. Talvez seja uma das únicas que ele fez com letra e melodia. Foi gravada no disco Os Borges. É fantástica: Um dia eu era menino/ Nos prédios de Belo Horizonte/ Nas ruas de Copacabana, Três Pontas, Chile e Bahia/ Mas meu coração no contava/ Crescer na cidade vazia...."

Letrista - "Fernando Brant, com Fruta boa: ‘É maduro o nosso amor/ Fruta boa....’"

Intérprete - "Bituca, não tem jeito. É o Bitucão, o maior cantor do mundo. Sempre fui apaixonado por Frank Sinatra e João Gilberto, mas gosto mais do Bituca."

Instrumentista - "Toninho Horta e Wagner Tiso."
(Estaminas)